11.7.05

Ballet Gulbenkian

Se quiser manifestar o descontentamento pela anunciada extinção do Ballet Gulbenkian reenvie este e-mail para os seguintes endereços, dirigidos ao Presidente da Fundação e Secretaria do Conselho, respectivamente: gabpres@gulbenkian.pt sconselho@gulbenkian.pt Para que mais pessoas possam fazer o mesmo, por favor envie-o para a sua lista de contactos de e-mail. Mensagem de Descontentamento pela extinção do Ballet Gulbenkian
A extinção do Ballet Gulbenkian anunciada pela Fundação no dia 5 de Julho de 2005 provocou grande estupefacção, tristeza e inconformismo não só nos profissionais da dança de mérito reconhecido, mas também nos vários portugueses que durante 40 anos assistiram aos espectáculos e ao consolidar da Companhia. É inegável o papel fundamental e único da Companhia do Ballet Gulbenkian, amplamente reconhecido pelo público, enquanto agente cultural activo na divulgação e apoio à criação artística contemporânea de um espectro significativo de coreógrafos determinantes ao longo destes anos. A nova política de gestão não deve pensar no panorama actual da dança confiante de que o vazio estrutural deixado pela extinção da Companhia será compensado por acções de carácter distinto. Nada que não desenvolva o mesmo tipo de trabalho da Companhia a poderá substituir, sob pena de deixar lesões na oferta cultural da dança no futuro. As acções que o novo programa propõe, nomeadamente ao nível da formação profissional e de pesquisa e experimentação, têm uma natureza paralela e, como tal, distinta e complementar ao trabalho da Companhia. É um erro pensar que a mudança do campo de intervenção da Fundação vai colmatar falhas, sem anular a experiência do que já foi construído. É preciso uma acção concertada no apoio à continuação do papel da companhia na divulgação e consolidação da dança contemporânea em Portugal, assim como na criação de políticas de apoio à formação, pesquisa e experimentação. E as políticas de gestão servem para escolher a melhor maneira de adequar os recursos disponíveis a estes dois eixos de intervenção, porque o apoio exclusivo a um não substitui o outro sem causar danos profundos à realidade actual. Será o abandono a melhor forma de rentabilizar o que demorou tanto tempo a construir?

2 Comments:

Anonymous el niño said...

Com o Reino Unido a querer controlar os mails que enviamos, não há desculpa para o Toni não exprimir o seu descontentamento... E bálsamo dos bálsamos: há finalmente alguém que leia os mails enviados em vão!

7/11/2005 6:14 da tarde  
Anonymous el niño said...

está a correr também uma petição online no endereço: http://www.petitiononline.com/bg05ext/

7/12/2005 4:37 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home