22.12.05

138 anos depois

“ORDINARIAMENTE todos os ministros são inteligentes, escrevem bem, discursam com cortesia e pura dicção, vão a faustosas inuagurações e são excelentes convivas. Porém, são nulos a resolver crises, Não têm a austeridade, nem a concepção, nem o instito político, nem a experiência que faz o ESTADISTA. É assim que há muito tempo em Portugal são regidos os destinos políticos. Política de acaso, política de compadrio, política de expediente. País governado ao acaso, governado por vaidades e por interesses, por especulação e corrupção, por privilégio e influência de camarilha, será possível conservar a sua independência?”
Eça de Queiroz, 1867, in O distrito de Évora”

1 Comments:

Anonymous nim said...

Caro André, não fosse a gente saber que o Eça já desapareceu há uns bons anitos, e eu diria que estava a falar, ou se quizer a escrever de um tempo presente....
saudações e parabéns

12/28/2005 7:20 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home