18.5.06

Suspiro

Posto que está o meu primeiro ano em Madrid, entramos na fase em que muito se repete e em que muitas (demasiadas?) coisas se podem comparar. O ano passado isto, o ano passado aquilo, há um ano foi assim, há um ano assado. No entanto, esse simples facto, torna as coisas unicas visto que há muito que a comparação havia saído fora da minha semântica.
Com a data, veio inexplicavelmente também um sentido de que afinal as coisas podem esperar e ainda que não tenha (julgo que nunca terei) a calma de saber dar tempo ao tempo, sinto que finalmente estão ao meu alcance as coisas que per si, levam tempo a alcançar-se.
A verdade, é que posto este ano, pode-se também lançar a empresa da avaliação do que passou; exercício perigoso fosse o caso de nao haver passado nada.
Passou.
Muitas coisas.
Umas ganhas, outras perdidas, outras iterativamente goradas. Forças que se descobrem, prazeres desconhecidos que se alcançam, facetas da personalidade que se apuram.
Está por cumprir-se a corrida de fundo, por encontrar-se a cara-metade, por dar-se o grito da glória mas o tempo, esse assassino nato, dono da ultima palavra, está pela primeira vez em muito tempo do meu lado e a aliança, creio, lançará as sementes seguras e viçosas do Bom Vento.

2 Comments:

Blogger Arroz de Estragão said...

Sensibilizado com este poste...

Um abraço

5/18/2006 11:11 da tarde  
Anonymous la niña said...

Bom Suspiro...









profundo










um beijo

5/19/2006 1:28 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home